Conheça as soluções da Enesens de detecção fixa e desclassificação de áreas para o monitoramento de gases inflamáveis no setor de poliuretanos. Projeto de iniciativa do Ministério do Meio Ambiente e do Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento (PNUD).

O setor de poliuretanos, composto pelos fabricantes de espumas rígidas e flexíveis para aparelhos de refrigeração, isolamento térmico e acústico, estofados, entre outros, é um dos maiores consumidores de gases como os HCFCs (hidroclorofluorcarbonos), utilizados pelo setor por agregar maleabilidade às espumas, mas que são agressivos ao meio ambiente por contribuírem para o aquecimento global.

Atualmente, 4.800 toneladas de HCFCs são utilizados por ano, por cerca de 1.500 fabricantes de poliuretanos. Esses gases passaram a fazer parte dos processos produtivos por volta de 1987 com o Protocolo de Montreal, com o objetivo de substituir os CFCs (clorofluorcarbonos), gases ainda mais prejudiciais por serem nocivos à camada de ozônio.

foto 1 - PNUDJá com o objetivo de substituir os HCFCs nas cadeias produtivas do setor de poliuretanos, proporcionando a produção das espumas com um processo 100% “limpo”, o Ministério do Meio Ambiente e o PNUD iniciaram um projeto para promover a utilização do formiato de metila ou dos hidrocarbonetos (como isobutano ou ciclopentano).

Esses gases realizam a mesma função dos HCFCs dentro da fabricação da espuma, com a grande vantagem de não agredirem a camada de ozônio nem intensificarem o aquecimento global. No entanto, exigem cuidados específicos ao serem usados em processos fabris, já que, quando puros, são altamente inflamáveis (depois de sintetizados nas espumas de poliuretano já não oferecem riscos).

Neste contexto entram as soluções da Enesens, composta por uma linha completa de serviços e produtos que garantem alta segurança às vidas e ao patrimônio de uma indústria que possui processos com gases inflamáveis.

Entre os principais serviços direcionados para o setor, encontram-se o desenvolvimento de projetos customizados de detecção fixa, atrelados ao monitoramento remoto dos gases. A partir do estudo detalhado do processo produtivo, dos gases existentes, de suas concentrações, e das características da área onde a empresa está inserida, a Enesens especifica o sistema de detecção ideal, inserindo os detectores fixos corretos para cada tipo de gás e nos pontos mais críticos de vazamento.

Detecção Fixa - PNUDAlém do desenvolvimento dos projetos de detecção fixa, a Enesens realiza a desclassificação de áreas. Este serviço tem como objetivo mudar a zona de classificação de uma determinada área da empresa a partir da redução das atmosferas explosivas, promovendo um importante ganho econômico com a redução de custos na aquisição de equipamentos Ex. (Leia mais na matéria Projetos de Desclassificação de Áreas – Implante e reduza os custos de sua operação).

Outra boa noticia para o setor é que as empresas que realizam esses projetos para segurança de vidas e patrimônio, seja a detecção fixa ou a desclassificação de áreas, podem ser contempladas pela Lei do Bem de incentivo a inovação, a qual cria concessão de incentivos fiscais. (Leia mais na matéria Lei do Bem de incentivo a inovação).

Sobre a Enesens

A Enesens é uma empresa especializada em soluções de monitoramento de gases e detecção de vazamentos, destinada à preservação de vidas, processos e ativos. A partir de um amplo conhecimento do setor e das principais tecnologias de detecção, comercializa detectores fixos e portáteis para todos os tipos de necessidades, com profissionais especializados na prestação de serviços como projetos, instalação, comissionamento e manutenção dos detectores, além de projetos customizados de desclassificação de áreas a partir da utilização adequada dos detectores de gases fixos.

Para receber informações mais detalhadas sobre a Enesens entre em contato em 11 4218-3288 ou acesse www.enesens.com.br.