O maior evento da industria de petróleo e gás, a Rio Oil & Gas, esse ano vai acontecer entre as datas de 24 a 27 de setembro na Barra da Tijuca, RJ. A partir do slogan: “Transformando Desafios em Oportunidades”, os debates no evento contemplarão as áreas de Downstream, Upstream, Gás e Energia, Tecnologias Digitais, Abastecimento e Gestão da Indústria. Saiba mais sobre a programação nesse LINK.

E esse ano a Rio Oil & Gas abriu a oportunidade para empresas e estudiosos do setor apresentarem seus trabalhos, e inovações para o mercado de petróleo e gás, e a Enesens não poderia ficar fora dessa. Encaminhamos um documento sobre nosso software e-GAS, Enesens Gas & Alarm Software, e fomos aprovados!E você pode ler na integra o documento apresentado, explicando os motivos que nos levaram a consolidar o e-GAS, e porque o software é uma ótima solução para gerenciamento de ativos e segurança nas plantas industriais. Confira!

DETECÇÃO 4.0 IoT | e-GAS SOFTWARE DE MONITORAMENTO REMOTO

De acordo com a norma ISO 31000, todas as organizações enfrentam influências de fatores internos e externos que tornam incerto se, e quando, elas atingirão seus objetivos. O efeito que essa incerteza tem sobre os objetivos da organização é chamado de “risco”. Esta incerteza é o estado, mesmo que parcial, da deficiência das informações relacionadas a um evento, sua compreensão, seu conhecimento, sua consequência ou sua probabilidade. As consequências e probabilidades destes eventos devem ser avaliadas e gerenciadas através de atividades coordenadas para controle e mitigação dos riscos, para isto, é necessário a implementação de um processo de gestão de riscos para aplicação sistemática de políticas, procedimentos e práticas de gestão para as atividades.

O que vemos hoje em muitos casos é que cada risco existente é gerenciado de maneira única, muitas vezes por departamentos diferentes, aumentando sua segregação e criando “silos de risco”, resultando em uma deficiência em sua mitigação dentro da organização. Com o avanço de novas tecnologias da informação, como computação em nuvem, big data e indústria 4.0, vemos uma aceleração no desenvolvimento de novas ferramentas de auxílio ao gerenciamento dos riscos e gestão para diferentes aplicações. O grande desafio é traduzir esses dados para gerar informação, conhecimento e compreensão profunda sobre os riscos associados às atividades da organização, e é como parte desse desafio que a solução e-GAS foi desenvolvida pela Enesens.

METODOLOGIA SUCINTA | e-GAS

Quando o governo alemão propôs uma estratégia de alta tecnologia para o país a fim de promover a informatização da produção, cunhou-se o termo “Indústria 4.0” para designar uma Quarta Revolução Industrial. A mecanização das fábricas passava a ser inteligente ao longo desta década, com máquinas conectadas e computadorizadas. É baseado neste princípio de Indústria 4.0, da qual se emerge a égide da “internet das coisas” (IoT), que a Enesens desenvolveu o e-GAS buscando conectar a detecção de gases, vapores, particulados e grandezas de medições como: pressão, vazão e temperatura, de forma multi protocolar, a uma plataforma de monitoramento acessível na nuvem para auxiliar os usuários na tomada de decisão e otimizar seus processos de segurança e gestão de riscos.

Para chegar nesta solução fora necessária uma ampla pesquisa de mercado que abordasse as reais necessidades das empresas no que tange à segurança patrimonial e pessoal. Como por exemplo, um estudo feito em 2009 com empresas fabricantes de baterias automotivas do interior de São Paulo, levantou que as principais dificuldades de uma empresa na gestão de SST (Saúde e Segurança do Trabalho) são em falhas na comunicação, inexistência de indicadores de SST e ausência de visão estratégica para segurança (OLIVEIRA et al, 2009). Outro fato decisivo para o conceito da solução foram os mais de 20 anos de experiência de seu idealizador no mercado de surveillance, conhecendo os principais sistemas de segurança do mundo: CFTV, Controle de Acesso, Alarme Monitorado, Biometria, Inteligência Artificial através dos Vídeos Analíticos (Vídeos Inteligentes de CFTV), Segurança Perimetral e Conhecimento em Automação.

O desenvolvimento do e-GAS acompanha as tendências normativas de segurança do trabalho (OSHA 18001) e de atmosferas explosivas (NBR IEC 60079), visto que há um interesse crescente por parte das empresas em adequar-se às normas regulamentadoras afim de preservar sua imagem e garantir a qualidade e segurança de suas operações e trabalhadores. Também segue as tendências de pesquisas no desenvolvimento de Ambient Intelligence Systems (AIS) e Environment Sensor Networks (ESN), trabalhos que vêm sendo realizados por programas de pesquisa na Comunidade Europeia (GLAUAK, 2006). Além dessas referencias, o e-GAS também foi pensado para ser incorporado em futuras aplicações de Redes de Sensores sem Fio (RSSF) e soluções de comunicação máquina a máquina (M2M).

O e-GAS utiliza as mais modernas tecnologias digitais do mercado, capaz de coletar, processar, armazenar e visualizar dados de diferentes grandezas (gás, vapores, poeira, pressão, temperatura, etc) para o monitoramento da gravidade e probabilidade de riscos provenientes dos processos e exposição em um determinado ambiente, tudo isso de dividida em apenas 03 módulos: sistema de gás e alarme; segurança de todas as coisas; e segurança conectada. Além desses recursos o e-GAS possibilita o gerenciamento dos sensores através dos diagnósticos de calibração, vida útil, falhas, alertas, alarmes e emissão de relatórios de desempenho, podendo ainda intertravar, liberar ou negar acesso em áreas não seguras evitando a exposição desnecessária dos trabalhadores.

RESULTADO E DISCUSSÕES | e-GAS

A plataforma e-GAS torna possível obter pleno controle e segurança dos processos, monitorando de forma remota diversas grandezas presentes na planta. Para que isto fosse possível, fora necessário a compatibilidade e leitura dos principais protocolos de comunicação analógica e digital disponíveis no mercado (módulo segurança de todas as coisas). Enquanto os equipamentos analisam a concentração presente de um gás, vapor e/ou poeira no ambiente em que está instalado, um sinal é emitido ao software a uma frequência de 3 segundos, registrando e emitindo um alerta à central operadora caso haja uma concentração anormal ou nociva sendo monitorada (módulo sistema de gás e alarme). Automaticamente, a central emite um comunicado aos operadores da fábrica com o alerta de perigo via e-mail ou SMS (módulo segurança conectada). Mas não basta apenas saber que há perigo: é preciso saber também localizá-lo. O software registra e dá a localização exata do equipamento de onde ocorreu o vazamento, para que a equipe de manutenção e reparos alcance o mais rápido possível o local, evitando acidentes de trabalho. E por fim, o e-GAS produz relatórios gerenciais que para melhoria dos processos, e uma gestão de ativos com GPS integrado, datas e relatórios das últimas manutenções e calibrações dos detectores. Desta forma, a equipe de manutenção evita que se percam a vida útil dos sensores e os detectores fiquem inutilizáveis, colocando em risco a saúde e a segurança dos colaboradores.

CONCLUSÃO | e-GAS

O mercado de segurança vem crescendo a cada ano no Brasil, visto a constância dos serviços do mercado de SST, mas sem muita inovação, onde os custos e a falta de conhecimento e estratégia nesta área ainda são elevados. O eGAS então surge para promover a segurança de vida remotamente, retirando a decisão – no momento de crise – das mãos dos trabalhadores, reduzindo perdas progressivas na empresa, gerenciando riscos e ativos utilizados no processo industrial. O software mantém os responsáveis da área a par de todos os eventos temerários e nocivos, podendo acessá-los de qualquer lugar, dentro ou fora da planta, antevendo acidentes e impedindo que ocorram paradas na produção. Tudo isso baseado no princípio de IoT e indústria 4.0, criando em cada empresa uma “sala de gerência de risco” por meio da segurança conectada.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ABNT-NBR ISO 31000 – Gestão de riscos: Princípios e diretrizes. 2009

BUNDESMINISTERIUM FÜR BILDUNG UND FORSCHUNG. Industrie 4.0. Disponível em: <https://www.bmbf.de/de/zukunftsprojekt-industrie-4-0-848.html>. Acesso em: 28 março. 2018.

GLUHAK, Alexander et al. E-sense reference model for sensor networks in b3g mobile communication systems. 15th IST Summit 2006, p. 4-8, 2006.

RIBEIRO, Geraldo. Mercado em segurança do trabalho cresce até em cenário de crise. Disponível em: <https://extra.globo.com/noticias/educacao/profissoes-de-sucesso/mercado-em-seguranca-do-trabalho-cresce-ate-emcenario-de-crise-16532904.html>. Acesso em: 28 mar. 2018.

OLIVEIRA, O. J. et al. Gestão da segurança e saúde no trabalho em empresas produtoras de baterias automotivas: um estudo para identificar boas práticas. Produção, Bauru, v. 20, n. 3, p. 481-490, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/prod/v20n3/aop_t600040058.pdf>. Acesso em: 28 mar. 2018.

Redação: Pâmela Cintra

________________________________________________________________________________

Para maiores informações siga nossas páginas no LinkedIn / Facebook / Newsletters/Youtube

Sobre a Enesens

A Enesens é uma empresa especializada em soluções de monitoramento de gases e detecção de vazamentos, destinada à preservação de vidas, processos e ativos. A partir de um amplo conhecimento do setor e das principais tecnologias de detecção, comercializa detectores fixos e portáteis para todos os tipos de necessidades, com profissionais especializados na prestação de serviços como projetos, instalação, comissionamento e manutenção dos detectores, além de projetos customizados de desclassificação de áreas a partir da utilização adequada dos detectores de gases fixos.

Para receber informações mais detalhadas sobre a Enesens entre em contato em 11 4218-3288 ou acesse www.enesens.com.br