Conheça mais sobre os testes de respostas e sobre sua importância para os equipamentos de detecção de gás. Saiba onde, quando e por que devem ser realizados para garantir a saúde e segurança do trabalhador.

Antes de falarmos sobre os testes de respostas e sobre a necessidade de sua realização, é importante abordarmos sobre o significado de espaços confinados.

Presentes nas mais variadas atividades industriais, os espaços confinados são áreas não projetadas para ocupação humana contínua. Com ventilação insuficiente para remover contaminantes ou com deficiência de oxigênio, podem causar sérias doenças, danos permanentes ou letais aos seres humanos, decorrentes dos vazamentos de gases em determinadas quantidades por ppm (Matérias relacionadas: Monóxido de Carbono).

A análise desses espaços, de seus riscos e dos procedimentos de segurança que devem ser adotados por parte das empresas é o foco de estudo da Norma NR 33. Assim, por ser uma norma voltada para a saúde e segurança do trabalhador, ela estabelece a necessidade de se monitorar os gases presentes nos processos produtivos, recomendando a utilização de equipamentos, como os detectores de gás fixos e portáteis. No entanto, em função dos riscos presentes nos ambientes confinados, além da calibração periódica desses detectores, a NR 33 estabelece como obrigatoriedade a realização dos testes de respostas como medida técnica de prevenção (leia mais nas matérias sobre NR 33 e Calibração).

Teste de Resposta EnesensDirecionado especificamente aos detectores portáteis, o teste de resposta é responsável por verificar o desempenho de cada instrumento antes de sua utilização, garantindo que o mesmo esteja apto a detectar a menor presença de gases nos espaços confinados. Devem anteceder a entrada de cada trabalhador nessas áreas, responsável por liberar ou não o acesso e/ou a permanência do mesmo.

Se você trabalha em uma empresa com presença de espaços confinados, deve realizar os testes de respostas. Deve estipular uma política clara para realização dos mesmos, seguindo os procedimentos normativos para tal, assim como garantir a rastreabilidade dos testes realizados (veja mais em 10 dicas para se escolher um detector portátil).

Orientações durante a realização dos testes de respostas

O teste de resposta deve verificar se o equipamento responde adequadamente e com rapidez à presença de um gás padrão.  Feito isso o equipamento está apto para uso. No entanto, se nessa aplicação o equipamento não apresentar o valor correto da mistura, ou demorar demais para atingir o resultado esperado, é sinal de que ocorreu desvio dos pontos de calibração ou o sensor está próximo do fim de sua vida útil.

Neste momento, o equipamento é reprovado pelo teste de resposta e deve ser calibrado, mesmo que não tenha atingido o tempo mínimo recomendado de 06 meses para a calibração periódica. Com a calibração os pontos devem ser corrigidos, caso não ocorra, um novo sensor deve ser providenciado para o equipamento.

Entre os fornecedores de equipamentos para a realização dos testes de respostas encontramos a empresa Enesens, especializada na área de detecção de gases, com profissionais qualificados, produtos homologados e parcerias com os principais fornecedores mundiais de equipamentos.

Cilindro_dragerSugestão de kits para realizar os testes de repostas:

Para receber informações mais detalhadas sobre o tema, a Enesens encontra-se a disposição. Entre em contato em 11 4218-3288 ou acesse www.enesens.com.br.