AMÔNIA. UMA RÁPIDA DEFINIÇÃO

Imagem Gás AmôniaA Amônia é uma substância química no estado físico liquefeito, com composição NH3. É um gás tóxico e agressivo, incolor, sem sensibilidade à luz e com um odor pungente. Também é conhecida comercialmente por Amônia Anidra, subsistindo no estado líquido sob baixas temperaturas ou pressões relativamente altas. Atualmente, a amônia está presente nas áreas industriais, comerciais e residenciais.

Na indústria, é utilizada basicamente em três segmentos: matéria–prima no processamento químico de fertilizantes, na área de refrigeração e na área metalúrgica para a geração de ambientes redutores.

AMÔNIA. NA INDUSTRIA E SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO

Parâmetros de controle – normas e limites de referência
Segundo a NR-15, norma nacional de segurança e medicina do trabalho, o limite de tolerância do funcionário à amônia é de 20 ppm ou 14 mg/m³, para uma jornada de até 48h/semanais.

Segundo a American Conference of Governmental Industrial Hygienists Average (ACGIH), o limite à exposição é de 25 ppm ou 17mg/m³.

Entre as normas nacionais, a NBR 16069:2010 também pode ser usada como referência no universo da amônia, baseada na ASHRAE Standard 15:2007 e na EN 378:2008, é voltada para os sistemas frigoríficos, com foco na segurança ambiental, pessoal e patrimonial.

Como prevenir a exposição dos funcionários à amônia
Dentro das atividades industriais, a exposição dos funcionários à amônia está diretamente vinculada à ocorrência de vazamentos, em maior ou menor concentração do gás.

Para tanto, a adoção de alguns procedimentos é de fundamental importância e devem ser seguidos à risca, principalmente quando voltados ao monitoramento, detecção e redução dos vazamentos. Além deles, já está mais que difundida a necessidade dos EPIs e utilização de detectores de gás portáteis/fixos, possibilitando a segurança pessoal dos funcionários nos ambientes com maior perigo de exposição aos gases tóxicos (como a amônia).

Entre os setores mais expostos à amônia, pode-se ressaltar as indústrias e atividades comerciais que utilizam internamente algum sistema de refrigeração, como as indústrias alimentícias e de bebidas, químicas e petroquímicas, matadouros, hospitais e laboratórios, indústrias farmacêuticas, dentre tantas outras.

E por que? Hoje a refrigeração é usada por toda indústria ou comércio com necessidade de manter um produto ou processo em um nível definido. Entre os gases voltados para este fim, a amônia é utilizada por mais de um século como gás de refrigeração, com a grande vantagem de não apresentar potencial de aquecimento global ou efeito sobre o nível de ozônio.

No entanto, a amônia é um gás extemamente tóxico e inflamável quando em concentrações elevadas, o que exige severos procedimentos e controles para seu não contato com o meio.

LDAR Enesens

AMÔNIA. PERIGOS MAIS IMPORTANTES

Ao meio ambiente, a amônia oferece grande risco de intoxicação por contaminação hídrica e atmosférica, queima as plantas por desidratação e apresenta intensa acidez pela água. Na área da saúde e segurança, oferece efeitos adversos mesmo em baixas concentrações.

Entre os principais sintomas e efeitos no estado liquefeito, alguns devem ser destacados, como asfixia por respiração e queimadura por contato; violenta tosse com irritação pulmonar, edema e até a morte por asfixia; irritação, cegueira temporária e severos danos aos olhos na exposição a altas concentrações de vapor; ação corrosiva na boca, esôfago e estômago caso haja sua ingestão.

As soluções aquosas de amônia apresentam praticamente os mesmos danos. O contato de solução amoniacal com a pele produz um avermelhamento na região afetada, podendo causar graves queimaduras pela sua ação cáustica e pelo próprio congelamento do local afetado.

Em ambientes contaminados com baixas concentrações o gás só causa irritação nos olhos e incomoda na respiração, não apresentando efeitos acumulativos. Ainda pode causar inchamento do corpo, colapso, febre, dor no peito, nos olhos, nos ouvidos e garganta, além de dor no abdômen e vômito.

AMÔNIA E SUA DETECÇÃO 

Além da necessidade de proteção ambiental, do ser humano e patrimonial, a detecção da amônia podem gerar grandes benefícios econômicos às empresas, na medida em que promoverá a redução dos vazamentos e dos custos envolvidos, como: custos para a reposição do gás; custos com o maior consumo de energia devido à falta ou falha no sistema de refrigeração; possíveis custos com seguros e encargos sobre gases refrigerantes “ecologicamente não amigáveis”; custos para a reposição de produtos danificados em estoque devido a um vazamento substancial.

Para tanto, os programas voltados para a detecção da amônia e de outros gases estão se tornando processos chaves dentro das industrias mundiais. Entre os fornecedores de equipamentos, projetos e consultorias, encontra-se no Brasil a empresa Enesens, com soluções para os mais diversos segmentos da indústria, operando em parceria com as multinacionais Drager, IST (Oldham, GMI), MSA e The Sniffers.

Projetos e consultoria de detecção de gás
Desenvolvimento e suporte de projetos para sistemas de detecção de gases e vapores, a partir da extensa análise da área e dos processos envolvidos, como regulamentações, riscos, aplicações, especificações e particularidades.  Esses projetos abrangem desde o desenvolvimento conceitual do sistema de monitoramento e detecção de gases, até a instalação e comissionamento dos equipamentos necessários.

Programas de detecção de vazamentos e reparos
O programa de Detecção de Vazamento e Reparo (LDAR – Leak Detection and Repair) visa mensurar, reduzir e gerenciar as emissões fugitivas de uma instalação industrial, de maneira inteligente e eficiente.

Entre os resultados provenientes da implantação do LDAR, ressalta-se a redução das emissões fugitivas em até 50% após o primeiro ano de sua implantação, além da redução de 70% das perdas do queimador, de 50% de incidentes em dutos e de 46% das perdas de vapor.

Detectores de gás fixos
A utilização de detectores de gás fixos para o monitoramento da amônia é fundamental para detectar possíveis vazamentos, devendo ser instalados nas áreas com maior exposição à amônia e riscos de vazamentos.

CURIOSIDADE

Algumas medidas de primeiros socorros após contato com a amônia (antes do encaminhamento médico):

Inalação: Remova a vítima para a área não contaminada e arejada e administre oxigênio, se disponível, sob máscara facial ou cateter nasal. Aplique manobras de ressuscitação em caso de parada respiratória.
Contato com a pele: Retirar rapidamente as roupas e calçados contaminados e lave as partes atingidas com água corrente em abundância durante 15 minutos. Se houver, aplique ácido acético ou vinagre. Não colocar ataduras durante 24 horas.
Contato com os olhos: O atendimento imediato é fundamental. Lave os olhos com água corrente durante uns 15 minutos, mantendo a pálpebra erguida, para permitir a máxima remoção do produto. Se houver disponível, aplique solução de ácido bórico 5%.
Ingestão: O acidentado consciente pode ingerir água ou leite, sempre aos poucos para não induzir vômitos. Não provocar vômitos.

________________________________________________________________________________

Redigido por Pâmela Cintra – Marketing Enesens.

Para maiores informações siga nossas páginas no LinkedIn / Facebook / Newsletters

Sobre a Enesens

A Enesens é uma empresa especializada em soluções de monitoramento de gases e detecção de vazamentos, destinada à preservação de vidas, processos e ativos. A partir de um amplo conhecimento do setor e das principais tecnologias de detecção, comercializa detectores fixos e portáteis para todos os tipos de necessidades, com profissionais especializados na prestação de serviços como projetos, instalação, comissionamento e manutenção dos detectores, além de projetos customizados de desclassificação de áreas a partir da utilização adequada dos detectores de gases fixos.

Para receber informações mais detalhadas sobre a Enesens entre em contato em 11 4218-3288 ou acesse www.enesens.com.br.