Nesse artigo vamos tratar das Caldeiras de Geração e de Recuperação para produção de Celulose e os riscos que os funcionários, patrimônios e a comunidade estão expostos caso não tomem algumas medidas de segurança junto aos combustíveis utilizados para seu funcionamento

Nas Caldeiras de Recuperação de Celulose utiliza-se o Liquor Negro como combustível para queima nos queimadores. Como decorrência, os gases produzidos são usualmente denominados GNCd (Gases Não Condensáveis diluídos) e GNCc (Gases Não Condensáveis concentrados).

O GNCc é encontrado tipicamente em concentrações maiores que seu limite de explosão superior (UEL), então, quando em contato com o ar entra na zona de explosividade imediatamente. Já o GNCd é encontrado em concentrações abaixo do limite de explosão inferior (LEL), entretanto, é um gás altamente explosivo, chegando a explosividade de acordo com a condição de processo imposta.

A composição usual do GNCc é:

  • Sulfeto de Hidrogênio (H2S): 5.43%-Vol (ou 54300 ppm)
  • Metil Mercaptana: ((H2S)CH2) 15.33%-Vol
  • Dimetil Mercaptana: ((H2S)C2H4) 0.99%-Vol
  • Dimetil Dimercaptana: ((H2S)2C2H2) 1.75%-Vol
  • Nitrogênio: 76.5 %-Vol

A explosividade do GNCc está diretamente ligada ao H2S, que é um gás explosivo em concentrações acima de 4%-Vol e temperaturas acima de 260°C II B T3, e é encontrado no GNCc com 5.43%-Vol., como mencionado acima. Então, quando essa mistura vaza para a atmosfera, ela será diluída no ar, e desta forma, instantaneamente, o GNCc diluído em ar passa a ser uma mistura explosiva, e por isso, devem ser monitorados.

GNCc

Outros gases que devem ser monitorados nas Caldeiras de Geração e Recuperação na Industria de Papel e Celulose:

  • GNCd
  • Metanol Volatizado (aproximadamente 10 ppm)
  • TRS (aproximadamente 900 ppm)
     

Práticas Seguras de Monitoramento

A detecção e o sistema de alerta precoce são necessários para detectar os níveis de 0% até o LEL – Limite Inferior de Explosividade. Até o momento que a concentração de LEL é atingida, os procedimentos ou o apuramento local já devem ter sido colocados em operação. Então, convencionalmente, os alarmes devem iniciar a uma concentração de 10% do valor de LEL, seguido de um alarme com 25% do LEL, de modo que atinja uma margem de segurança adequada.

explosimetro digital

Correlação de LEL dos gases inflamáveis

 

Redigido por Consultor Roberto Sternberg e Pâmela Cintra

Para maiores informações siga nossas páginas no LinkedIn / Facebook / YouTube

 

Sobre a Enesens

A Enesens é uma empresa especializada em soluções de monitoramento de gases e detecção de vazamentos, destinada à preservação de vidas, processos e ativos. A partir de um amplo conhecimento do setor e das principais tecnologias de detecção, comercializa detectores fixos e portáteis para todos os tipos de necessidades, com profissionais especializados na prestação de serviços como projetos, instalação, comissionamento e manutenção dos detectores, além de projetos customizados de desclassificação de áreas a partir da utilização adequada dos detectores de gases fixos.

Para receber informações mais detalhadas sobre a Enesens entre em contato: (11) 4218-3288, [email protected] ou acesse www.enesens.com.br.