É fato que para uma indústria iniciar sua atuação de forma legal, ela precisa seguir determinadas orientações normativas, de acordo com seu processo produtivo, setor de atuação e classificação de suas áreas, divididas em Zonas 0, 1 e/ou 2.

Hoje encontramos no mercado uma infinidade de normas e legislações voltadas principalmente para o tema saúde e segurança ocupacional. Mesmo abordando sobre questões distintas, quase todas evidenciam a importância do monitoramento de gases, detecção e reparo de vazamentos, e os instrumentos de detecção de gás portátil se encaixam perfeitamente nesse contexto.

Pensando em facilitar sua escolha por esses instrumentos, apresentamos abaixo dez dicas para lhe auxiliar na aquisição dos detectores de gás portáteis, um instrumento elétrico que acompanha o operador, comercializado nos mais diversos modelos, marcas e especificações técnicas.

Detector de gás portátil

01- Conheça os processos produtivos de sua indústria. É fundamental conhecer os processos presentes e previstos para adquirir um detector de gás portátil.

02 – Identifique os gases que deverão ser detectados e os processos a serem controlados, principalmente em função da quantidade de gases tóxicos ou combustíveis presentes nesses processos.

03 – Pesquise quais normas e legislações são seguidas por sua companhia. A escolha pelos detectores de gás pode ser diferente em função desta condição.

04 – A partir dos itens anteriores, escolha os locais onde deva ser exigido a utilização dos detectores portáteis. Lembre-se que estes detectores devem acompanhar todo profissional que adentrar nos locais escolhidos.

05 – Os detectores podem realizar a detecção de gases com diferentes tecnologias, como a Catalítica, IR, Eletroquímica, PID, FID, entre outras. Identifique a tecnologia que deve ser considerada para seu processo.

06 – A partir do estudo de classificação das áreas, defina qual será a classificação de seu detector portátil, um instrumento elétrico desenvolvido de acordo com a área em questão.

07 – Escolha os detectores adequados para espaços confinadas. A NR 33, voltada para a segurança e saúde ocupacional nos trabalhos em espaços confinados, estabelece a liberação do ingresso do trabalhador nessas áreas mediante teste do detector portátil. É essencial estabelecer um procedimento para realizar esse teste, conhecido pelo nome de Bump Test.

08 – Além de testar os detectores de gás portáteis a cada entrada nos espaços confinados, é necessária a criação de um procedimento para rastrear os testes realizados.

09 – Implante um sistema de gestão do parque de detectores de gás. A gestão dos equipamentos de detecção envolve controle dos custos de Capex e Opex, sendo na maioria dos casos apoiada por empresas de consultoria.  Os principais aspectos a serem controlados são calibração, revalidação e manutenção.

10. A calibração dos medidos é um fator crucial. O sistema de gestão deve estabelecer de quanto em quanto tempo os detectores devem ser calibrados, evitando o risco de não se ter o instrumento em momentos críticos, como parada da fábrica ou entrada em espaços confinados.

Atualmente, existe no mercado uma série de empresas que podem lhe auxiliar na escolha dos detectores de gás portáteis, identificando os melhores modelos e tecnologias a se trabalhar, de acordo com as áreas e processos de sua indústria.

Conheça mais em:

– Detectores Portáteis: https://www.enesens.com.br/produtos/deteccao-de-gas-portatil/

– Projetos e Consultoria: https://www.enesens.com.br/servicos/projetos/

Para receber informações mais detalhadas sobre o tema, a Enesens encontra-se a disposição.  Entre em contato em 11 4376-3330 ou acesse www.enesens.com.br.